A neurociência é um campo bastante rico de oportunidades e desafios. O cérebro é complexo e muitos de seus mistérios ainda não foram desvendados. Por exemplo, os processos neurais de consciência, percepção, aprendizado e memória ainda não são totalmente compreendidos. Além disso, as causas neurais mecanicistas de muitas doenças cerebrais e distúrbios, como a doença de Alzheimer, Parkinson, manias, depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia não foram resolvidas.

Você já havia ouvido falar em startups especializadas em neurociências? – A NeuroLaunch é a primeira aceleradora de startups de neurociências do mundo. Fundada pelo neurocirurgião e neurocientista Jordan Amadio, M.D., M.B.A., a empresa tem como principal objetivo preparar o caminho para startups em neurociências e permitir maior compreensão do cérebro, acelerando o progresso na melhoria da condição humana e rompendo as substanciais barreiras existentes à comercialização de tecnologias à neurociência.

O mercado global de neurociências deverá atingir US$ 30,8 bilhões em 2020, segundo estimativas da Grand View Research.

Dr. Amadio é co-fundador da NeuroLaunch. Ele é um daqueles raros indivíduos interdisciplinares que se destacam em ciência, empreendedorismo e liderança global. Ele é um bolsista de inovação do Congresso de Cirurgiões Neurológicos, ganhador do Prêmio de Excelência em Liderança em Medicina da Fundação AMA. Formado em Princeton, no MIT, na Harvard Medical School e na Harvard Business School, ele foi o chefe residente em neurocirurgia na Universidade de Emory e atuou na faculdade de medicina exponencial pela Singularity University. Atualmente é neurocirurgião da University of Texas, no Dell Seton Medical Center.

A NeuroLaunch foi fundada em 2014 com a missão de possibilitar o crescimento de startups com foco em tecnologia cerebral por meio de investimentos diretos ou possibilitando um crescimento rápido por meio de sua comunidade global de empreendedores, pioneiros, pesquisadores e líderes em neurociência. A empresa concentra-se em neuro-terapias, neuromodulações e interfaces cerebrais, saúde mental, bem-estar e tecnologias digitais neurais. A NeuroLaunch conta em seu portfolio com empresas como Intellimedix, Neurish, Cognition Medical, 45 Degree Health, Safe Heart, MonitorMed Solutions, AutoCruitment, Mint Labs, Zyrobotics, Atanse e BrainChild Technologies. A startup oferece mais de 120 líderes como mentores para apoiar os empreendedores em neurociência.

A NeuroLaunch não poderia ter vindo em melhor hora. É notório que o interesse comercial pela neurociência tem aumentado consideravelmente. O empresário americano (pioneiro e investidor de risco) Bryan Johnson alocou cerca de US$ 100 milhões, de sua própria fortuna, em 2016, para fundar a Kernel, uma empresa de neurotecnologia em que ele é o CEO.

O bilionário Mark Zuckerberg revelou outrora que o Facebook tem como objetivo criar uma interface não-invasiva entre o cérebro e o computador. No mesmo ano, Elon Musk entrou no mercado de neurociências com o lançamento da Neuralink, uma startup focada no desenvolvimento de uma interface cérebro-máquina para conectar humanos e computadores.

“Estamos agora, muitos dizem, à beira de uma idade de ouro na tecnologia do cérebro. A razão para isso é que há um leque em expansão de fontes públicas e privadas de financiamento que estão entrando no espaço.” – diz Jordan Amadio, CEO da NeuroLaunch.

A NeuroLaunch está trabalhando junto com o Congresso de Cirurgiões Neurológicos para facilitar o caminho para a inovação e permitir que os clínicos comercializem suas invenções. A empresa também está trabalhando em parceria com a Universidade de Yale em um programa para enfrentar a crise dos opiáceos.

“Estamos agora no meio de uma epidemia de abuso de opiáceos nos Estados Unidos”, disse o Dr. Amadio. “Isso está custando US$ 78 bilhões ao ano em encargos econômicos – sem mencionar as vidas que já perdemos. Entendemos que este é um problema neurocientífico. Acreditamos que, em muitos casos, os pesquisadores de abuso de substâncias estão gerando inovações importantes que precisam ser traduzidas em startups e no mercado. Estamos trabalhando com a Yale e o NIH para permitir que mais pesquisadores retirem suas ideias tecnológicas da academia e gerem empresas iniciantes.”

Dr. Amadio pensa que a neurociência está se democratizando e acredita que esse conjunto que engloba a neurociência, a neurotecnologia, a inteligência artificial, as tecnologias avançadas à resolução de imagens, a optogenética e as técnicas de tratamento com células-tronco, permitirão que a humanidade melhore exponencialmente.

A Braver observa o desenvolvimento da Neurociência e acredita em sua aplicação aos negócios internacionais como fator de inteligência e competitividade.

Author

A Braver é uma empresa brasileira especializada em comércio exterior e relações internacionais. Pioneira na aplicação do conceito de sustentabilidade aos negócios internacionais. Autoridade em trading, importação, exportação, outsourcing, internacionalização, branding, otimização tributária e projetos internacionais de alto desempenho.