O Comércio Exterior é naturalmente associado à globalização. E a sustentabilidade reforça a importância da utilização de recursos com responsabilidade, de forma a não provocar esgotamento ou escassez. A questão aqui é, como expandir a capacidade de importação e exportação de um país e integra-lo com mais força à globalização, sem que se comprometa a qualidade de vida das próximas gerações?

Em 2017, o Brasil registrou uma participação de 1,2% no comércio mundial. Isso significa que, há imensa oportunidade de expansão para o comércio exterior do país.

Ao mesmo tempo, uma cultura empresarial imediatista, pouco metodológica e bastante improdutiva, não colabora para que as oportunidades sejam alcançadas. Você sabia que, de acordo com o Conference Board, organização americana que congrega empresas e pesquisadores, são necessários 4 brasileiros para atingir a mesma produtividade de 1 norte-americano? – Além de questões macroeconômicas, como a infraestrutura ou o baixo investimento em inovação e tecnologia por aqui, o baixo nível educacional e a despreparação da mão-de-obra, são os principais fatores desse comportamento estacionário. E, talvez, essas características também expliquem a pouca aderência do pequeno e médio empreendedor, público que representa quase 30% do PIB, aos negócios internacionais.

O programa Brasil Mais Produtivo, coordenado pelo MDIC, é uma iniciativa pública com apoio do setor privado, que visa aumentar a produtividade em processos produtivos de empresas industriais com ações rápidas, de baixo custo e alto impacto. Além dele, o Plano Nacional da Cultura Exportadora – PNCE, promete ampliar o número de empresas brasileiras que exportam produtos e serviços. Ações que reconhecem o atraso do país no comércio mundial e corroboram a necessidade de expansão.

Conciliar a sustentabilidade ao comércio internacional é possível e deve ser parte do modelo de negócio de toda organização.

Embora investir em tecnologia e fomentar uma cultura empresarial mais aberta sejam fundamentais, aliar a sustentabilidade às práticas corporativas tem igual importância para evitar o esgotamento dos recursos às próximas gerações.

  • O Wal-Mart abriu mais espaço nas prateleiras para produtos desenvolvidos de forma sustentável e cortou 20 milhões de toneladas métricas de emissões de gases de efeito estufa de sua cadeia de suprimentos.
  • A Ford vai investir 11 bilhões de dólares até 2022 em carros elétricos. Serão 40 modelos elétricos ou híbridos nos próximos anos.
  • A Pepsi exigiu uma melhor contabilização das emissões de gases de efeito estufa de seus produtores de laranja.
  • A GE anunciou recentemente a maior compra de veículos elétricos da história. Foram 25 mil carros.

As empresas que empurram outras empresas em direção às práticas sustentáveis, geram resultados reais. A inovação cria oportunidades e fatalmente leva a um futuro ambientalmente correto.

Além disso, profissionais que trabalham em empresas que investem em sustentabilidade, tendem a visualizar melhor o impacto de suas tarefas na sociedade e, não só acreditam, como promovem seus empregadores espontaneamente. A gestão sustentável, sob qualquer aspecto, desponta como uma forma bastante inteligente de estabilizar e prosperar os negócios, mesmo aos mais céticos.

Conciliar a sustentabilidade ao comércio internacional é possível e deve ser parte do modelo de negócio de toda organização. O conceito de sustentabilidade quando inserido na diretriz corporativa, transforma a empresa e inspira a cadeia produtiva.

Apresentar boas práticas de governança, compliance, responsabilidade social, desenhar políticas de integração e estímulo a diversidade, controlar a cadeia produtiva, gerenciar os recursos humanos com respeito, fomentar o desenvolvimento e a inovação, monitorar a utilização de recursos materiais e cumprir as leis dos países em que atua, estimula o comportamento ético e sustentável em todas as esferas.

Na Braver, a sustentabilidade é aplicada a cada projeto internacional que temos a oportunidade de estruturar e gerir. Somos pioneiros na exploração desse tema dentro do comércio exterior como proposta integrada de valor. Conheça a Braver e surpreenda-se com os resultados que podemos gerar aos seus negócios.

Author

A Braver é uma empresa brasileira especializada em comércio exterior e relações internacionais. Pioneira na aplicação do conceito de sustentabilidade aos negócios internacionais. Autoridade em trading, importação, exportação, outsourcing, internacionalização, branding, otimização tributária e projetos internacionais de alto desempenho.