A Coréia do Sul se destaca como uma das maiores economias do mundo, produzindo alguns dos maiores navios e desenvolvendo alguns dos mais avançados aparelhos eletrônicos já vistos. Com raízes agrárias, o país cresceu rapidamente durante os anos 60 e 70 amparado pelas exportações e pela indústria. Em menos de 50 anos, o produto interno bruto (PIB) da Coreia do Sul aumentou de US$ 2,7 bi (em 1962) para mais de um trilhão de dólares (em 2007). Mas afinal, como a economia da Coreia se desenvolveu tão rapidamente?

O país experimentou uma das maiores transformações econômicas dos últimos 60 anos. Começou como uma economia baseada na agricultura nos anos 1960 e, em 2016, se tornou a 11ª maior economia do mundo em termos de produto interno bruto (PIB). Atualmente, a Coreia do Sul exporta não apenas bens de consumo, mas também sua cultura popular seja por meio de filmes, músicas e/ou outros ativos.

Muitas foram as turbulências. Entre 1997 e 1998, por exemplo, a economia sul-coreana enfrentou sua maior dificuldade em uma crise financeira que varreu a Ásia. Por meio de uma dura reestruturação e um foco estrategicamente direcionado à alta tecnologia, o país superou a crise e se transformou em uma economia muito mais complexa e vibrante.

Entre os principais desafios contemporâneos do país estão:

  • A crescente desigualdade de renda;
  • O impacto econômico de uma sociedade envelhecida;
  • As implicações econômicas sobre uma possível reunificação com a Coréia do Norte e;
  • A competição em P&D com a China.

Embora a Coréia tenha conseguido promover as exportações, o ambiente de negócios e a inovação, ainda existem muitos desafios, incluindo a competição com a China. Formuladores de políticas na China têm enfatizado a importância de transformar o país em um reconhecido fabricante e exportador de itens de alto valor agregado.

Isso poderia ter um impacto negativo à Coréia do Sul, já que a China tem sido tradicionalmente um grande importador de produtos sul-coreanos. Nos últimos anos, a China vem investindo intensivamente em P&D e já se aproxima de países como EUA e Japão. Outros fatores de preocupação são: o tamanho geográfico relativamente limitado da Coréia do Sul; suas restrições à obtenção de recursos naturais e o tamanho de sua população.

Muitos estudos atribuem a transformação estrutural da Coreia do Sul a reformas políticas destinadas a abrir o país aos mercados estrangeiros. De fato, as políticas orientadas para a exportação da Coréia do Sul foram e são um dos fatores mais importantes de seu sucesso. A Coréia do Sul é hoje um dos 10 maiores exportadores do mundo e suas exportações como porcentagem do PIB aumentaram de 25,9% em 1995 para 56,3% em 2012. Dois fatores adicionais contribuíram para o aumento do comércio internacional e da industrialização na Coréia do Sul:

  • Uma melhoria no ambiente de negócios
  • Políticas de incentivo ao investimento em inovação.
A Coréia do Sul é hoje um dos 10 maiores exportadores do mundo.

É sabido que um ambiente de negócios forte estimula o crescimento no mercado doméstico e atrai investidores estrangeiros. De acordo com o Banco Mundial, a Coréia do Sul ocupa o 4º lugar em termos do índice geral de Facilidade de Fazer Negócios (Doing Business), enquanto os EUA estão em 6º lugar. Entre a lista de critérios, a Coreia do Sul domina a facilidade de iniciar um negócio e fazer cumprir contratos. Cenário que desempenha um papel significativo no incentivo ao investimento, à produção, à comunicação e ao crescimento econômico.

A Coreia do Sul dedicou atenção extra ao desenvolvimento tecnológico e à inovação para promover o crescimento. A inovação e a tecnologia são os fatores-chave que sustentaram a competitividade das exportações sul-coreanas e alimentaram a notável ascensão econômica do país nas últimas décadas.

Há algum tempo, a Coréia do Sul vem investindo a maior parte de seu PIB em pesquisa e desenvolvimento (P&D). O percentual de investimento relativo sul-coreano já é maior que o dos EUA e do Japão, dois dos líderes globais em inovação.

Entre 1996 e 2015, a intensidade de pesquisa e desenvolvimento da Coréia do Sul cresceu 88,5% (de 2,24% em 1996 para 4,23% em 2015), enquanto os Estados Unidos cresceram apenas 14,4% (de 2,44% em 1996 para 2,79% em 2015).

Você já pensou que as exportações podem perpetuar seus negócios? Exportar é estratégico. Venha para a Braver. Exporte!

Author

A Braver é uma empresa brasileira especializada em comércio exterior e relações internacionais. Pioneira na aplicação do conceito de sustentabilidade aos negócios internacionais. Autoridade em trading, importação, exportação, outsourcing, internacionalização, branding, otimização tributária e projetos internacionais de alto desempenho.