Com o mundo passando pela maior transformação de energia desde a revolução industrial, há players bem conhecidos e outros ocultos liderando essa mudança de paradigma. A energia renovável compreende um dos fundamentos da transformação da paisagem global de energia. Mais de 170 países estabeleceram metas nacionais e mais de 150 países formularam políticas para catalisar investimentos em energia limpa. Alguns são considerados líderes por terem incorporado uma grande parcela de fontes de energias renováveis ​​ao seu mix energético. Outros lideram os investimentos em energia limpa e há, ainda, àqueles que contribuem por meio do progresso tecnológico. Conheça os cinco países que lideram a revolução energética mundial.

China. A China lidera os investimentos em tecnologia de energia limpa. O país não é apenas o maior investidor em projetos nacionais de energia renovável, mas tem forte expressividade no exterior e, nos últimos anos, tornou-se um líder global em tecnologias energéticas sustentáveis. Embora a economia chinesa ainda seja dependente do carvão, as fontes de energia renováveis ​​ganharam uma fatia crescente do mix de energia local. O Governo Chinês prevê que até 2022, o parque energético do país seja, majoritariamente, composto pelas energias solar, hídrica e eólica.

Dinamarca. A Dinamarca é um país pioneiro no desenvolvimento da energia eólica em todo o mundo. Recentemente, a energia eólica bateu mais um recorde no país e forneceu 43% de todas as demandas locais por eletricidade. De todos os países da OCDE, a Dinamarca tem a maior produção de energia eólica per capita há mais de 15 anos. O país estabeleceu políticas climáticas ambiciosas, visando suprir mais de 50% de suas necessidades energéticas, a partir de fontes renováveis, ​​até 2030; e tornar-se 100% livre de combustíveis fósseis até 2050. E fica o registro de que, pelo que tudo indica, as metas serão atingidas mais cedo! As previsões atuais projetam que, em 2020, as fontes de energia renováveis, incluindo eólica, solar e biomassa, serão suficientes para suprir mais de 80% da demanda de eletricidade do país. O reforço vem também do Banco Mundial, que acaba de declarar a Dinamarca como líder mundial em energia verde. De acordo com a ferramenta RISE (Regulatory Indicators for Sustainable Energy), em uma escala de 1 a 100, a Dinamarca obteve 86 pontos em eficiência energética e 94 pontos em energia renovável. O país desenvolveu, ainda, um dos centros de desenvolvimento de tecnologia eólica mais promissores do mundo. Em seu mais recente relatório, o Conselho Global do Vento informou que o impulso da Dinamarca é responsável por 40% dos níveis globais de penetração da energia eólica. Um exemplo sensacional para o mundo todo.

Quênia. O Quênia é um dos players ocultos da energia renovável. O país tem uma taxa de conectividade estimada em 70% e trabalha para que toda a população tenha acesso a energia até 2020. Para alcançar essa meta, o governo aposta nas energias renováveis. O Quênia é o principal mercado da África para instalações solares. Os esforços foram apoiados por várias instituições internacionais de desenvolvimento, incluindo o Banco Mundial, a Agência Alemã de Desenvolvimento (GIZ) e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD). Desde o lançamento da política nacional do Quênia para garantir o acesso à eletricidade em áreas rurais, as mini-redes solares forneceram eletricidade para mais de 30% das pessoas que viviam em locais remotos.

Índia. A Índia acomoda uma população de 1,34 bilhão – número ligeiramente menor que a China. Por lá, a demanda futura de energia está projetada para responder por 25% da demanda global de energia. Em outras palavras, o que acontecerá na Índia, afetará a trajetória da economia energética em todo o mundo. Embora o carvão ainda seja responsável por 70% do mix de energia do país, a Índia pretende aumentar a capacidade de fontes renováveis em 2022 e, por lá, os leilões têm dado origem ao mercado de energias renováveis ​​mais competitivo do mundo. Isso fez com que o governo reduzisse suas ambições pelo carvão e aumentasse a participação das fontes renováveis. Como resultado, as usinas termoelétricas e as estruturas de carvão estão dando lugar ao planejamento de projetos solares e eólicos.

Islândia. A Islândia é conhecida principalmente pelo cenário natural de tirar o fôlego. Esta beleza natural abundante, no entanto, não só oferece vantagens estéticas aos seus cidadãos orgulhosos e visitantes aventureiros, mas também permite que o país mantenha um dos mais altos recordes de penetração de energia renovável no mix energético nacional e o mais alto entre os países europeus. Atualmente, a energia geotérmica, a hídrica e a eólica fornecem 100% das necessidades de eletricidade da Islândia.

Na Braver, temos uma divisão especializada em energias renováveis. Somos parceiros na importação de tecnologias que amparam a construção de parques industriais mais sustentáveis e na exportação, levamos biomassa Brasileira para todo o mundo. A revolução energética já começou, como é que você pretende fazer parte desse movimento? Independentemente do tamanho do seu negócio, posicione-se entre os grandes. Saia do amadorismo. Venha para a Braver.

Author

A Braver é uma empresa brasileira especializada em comércio exterior e relações internacionais. Pioneira na aplicação do conceito de sustentabilidade aos negócios internacionais. Autoridade em trading, importação, exportação, outsourcing, internacionalização, branding, otimização tributária e projetos internacionais de alto desempenho.

Escrever Comentário