Como uma cooperativa de laticínios da Nova Zelândia conseguiu alcançar o patamar de maior empresa do país, operar em mais de 140 (cento e quarenta) mercados, representar sozinha 20% (vinte por cento) das exportações Neo Zelandesas e, ainda, deter 95% (noventa e cinco por cento) de toda a produção local de leite? A Fonterra entregou cerca de US$25 bilhões (de dólares) para seus acionistas em um período de 5 (cinco) anos e, atualmente, é a quarta maior empresa de laticinios do mundo! Acesse o Case da Fonterra e entenda a importância da estratégia internacional na construção de negócios globais.

O mercado mundial de laticínios é complexo e dinâmico. É moldado por tendências alimentares entre os consumidores e por mudanças na tecnologia de alimentos. Também é afetado por governos, tanto àqueles que desejam melhorar os padrões nutricionais de seus países, quanto àqueles que desestimulam o livre comércio para proteger as comunidades rurais. Entre os desafios do setor, está o fato de que consumidores em todo o mundo preferem produtos lácteos frescos aos de longa vida. Nesse contexto, a penetração de uma empresa de laticinios em mais de 140 (cento e quarenta) mercados é, em qualquer circunstância, bastante expressiva e merece atenção.

Uma das estrategias é a gestão verticalizada. A empresa opta por controlar todos os estágios da cadeia de suprimentos, desde a fazenda (produção), até a transformação (industrialização) das matérias-primas e entrega ao cliente final, seja na Nova Zelândia ou no exterior. Essa característica, embora torne o negócio complexo, é uma das fortalezas da cooperativa.

Ao longo dos anos eles desenvolveram conhecimentos muito profundos sobre como realizar cada etapa com perfeição. E esses conhecimentos são replicados nos mercados em que a empresa se propõe a participar. Acertando mais em menos tempo, eles têm redução de custo e de risco nos processos de internacionalização.

Por ter o controle pleno de todas as etapas do negócio, a Fonterra também é capaz de mensurar precisamente o impacto de novos projetos e tecnologias na cadeia de suprimentos. A não dependência de terceiros reduz a improdutividade e os riscos regulatórios. A empresa tem total rastreabilidade na engenharia de processos e facilidade na obtenção de certificações internacionais, mesmo em mercados muito fechados.

Do ponto de vista mercadológico, a cooperativa concentra esforços nos clientes que buscam qualidade nutricional e sabor. É internacionalmente reconhecida como detentora de uma linha saudável e de bom padrão nutricional. Uma das técnicas adotadas é a exploração científica do consumo de produtos lácteos para a qualidade de vida do indivíduo em qualquer idade.

A Fonterra estabelece canais (não obrigatórios) para se relacionar diretamente com os consumidores e com a imprensa nos mercados em que atua. Esse movimento permite leituras mais precisas sobre o impacto da comunicação nas vendas locais e sugere, pari passu, adaptações em produtos e serviços.

Embora administre uma cadeia gigantesca com mais de 4 (quatro) bilhões de vacas, a Fonterra investe em tecnologia e alia os produtos lácteos às dietas dos consumidores nos diferentes países, oferecendo itens fortificados com vitaminas e minerais, linhas orgânicas, com baixo teor de gordura e, ainda, àquelas desenvolvidas especialmente para a prevenção de doenças, sobretudo em crianças e idosos. Esses movimentos renovam e prolongam os ciclos de vida dos produtos ao redor do globo.

Embora o leite em pó seja um dos principais itens de seu portfólio, de olho na classe média Chinesa e na crescente demanda por leite fresco, a empresa tem se aproximado também por meio de aquisições, fusões e incorporações, principalmente na Ásia Oriental.

Seus 11.000 (onze mil) cooperados (fornecedores e proprietarios) empregam mundialmente cerca de 16.000 (dezesseis mil) profissionais. A empresa, que começou humildemente no interior da Nova Zelandia, já comemorou 200 (duzentos) anos de operação e, atualmente, exporta produtos lácteos para Ásia, Oriente Médio e África; e ingredientes para a fabricação de alimentos aos Estados Unidos, Europa Ocidental, Japão e Coréia do Sul.

As estratégias adotadas pela Fonterra, ao longo dos anos, construiram a quarta maior empresa de laticínios do mundo. E você, quais são seus planos para o seu negócio? Entre em contato com a Braver, compartilhe suas ideias conosco e deixe um Profissional de Comércio Exterior assistir você.

Author

A Braver é uma empresa brasileira especializada em comércio exterior e relações internacionais. Pioneira na aplicação do conceito de sustentabilidade aos negócios internacionais. Autoridade em trading, importação, exportação, outsourcing, internacionalização, branding, otimização tributária e projetos internacionais de alto desempenho.

Escrever Comentário