Segundo maior importador do mundo, posicionada logo atrás dos Estados Unidos, a China compra o equivalente a $1,9 trilhão de dólares. A expectativa é de que esse montante suba para $10 trilhões até 2022. É nesse contexto que o Presidente Chinês, Xi Jinping, anunciou em 2017, no Fórum de Cooperação Internacional, uma expressiva campanha de abertura do mercado chinês para o mundo, sendo a CIIE (China Internacional Import Expo), seu primeiro movimento nessa direção. A feira promete. Serão mais de 100 (cem) categorias de produtos e serviços de expositores de mais de 200 (duzentos) países. Shanghai foi a cidade escolhida para abrigar o evento que ocupará uma área total de 240 mil metros quadrados. São esperados 150 mil visitantes, entre eles compradores profissionais de cerca de 100 (cem) países e regiões.

A China tem experimentado o envelhecimento da população e o aumento da massa urbana, fatores que têm impactado os hábitos de consumo. Estudos apontam para as classes de renda média-alta e alta, e os consumidores nascidos entre os anos 80 e 90 (chamados millenials), como os propulsores do crescimento no consumo chinês nos próximos anos.

É raro um país realizar uma feira exclusivamente para fomentar as importações. De acordo com a ministra-conselheira da Embaixada Chinesa no Brasil, Xia Xiaoling, a China quer importar produtos tecnológicos e de alta qualidade, peças de automóveis e muitos outros produtos industrializados e aeroespaciais. Os chineses estão em busca de qualidade, inovação e novos sabores.

A CIIE (China International Import Expo) espera expositores de veículos e tecnologias de condução inteligente, máquinas e equipamentos, vestuários, artigos de uso doméstico, presentes, decorações, joias, produtos para bebês, brinquedos, cosméticos naturais, produtos desportivos, calçados, relógios, cerâmicas, produtos de vidro, cafés especiais, chás, condimentos, fitomedicamentos e fitoterápicos, super foods, produtos orgânicos, destilados (como a cachaça, por ex.), tecnologias que explorem a inteligência artificial etc.

Pela primeira vez, a China abre oficialmente suas portas para o mundo e busca produtos de qualidade para atender uma população cada vez mais exigente. O evento contará com profissionais chineses das áreas de educação, cultura e turismo, bureaux de comércio, grupos governamentais, líderes industriais e profissionais do e-commerce chinês, um setor bastante expressivo na economia local.

Desde 2008, a presença da China na América Latina tem crescido. Atualmente, a China é o principal parceiro comercial do Brasil no exterior. E, certamente, há muito espaço a ser explorado. Um mercado consumidor de mais de 1,4 bilhão de pessoas com a classe média mais numerosa do mundo e em expansão. Os registros apontam para um crescimento anual de cerca de 6% da classe média na China.

A Braver foi uma das empresas escolhidas pela APEX (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) para representar o Brasil na feira CIIE em Shanghai entre 5 e 10 de novembro no pavilhão de alimentos e bebidas. Estaremos no estande 7.2B6-01(028) introduzindo aos Asiáticos nossa linha premium de produtos brasileiros de alta performance. A escolha da APEX pela Braver reforça nosso compromisso com a excelência e nosso posicionamento como empresa jovem e inovadora no segmento de importação e exportação. Braver na CIIE em Shanghai. A China ficará pequena para nós!

Author

A Braver é uma empresa brasileira especializada em comércio exterior e relações internacionais. Pioneira na aplicação do conceito de sustentabilidade aos negócios internacionais. Autoridade em trading, importação, exportação, outsourcing, internacionalização, branding, otimização tributária e projetos internacionais de alto desempenho.

Escrever Comentário